§

Túmulo da marquesa de Santos no cemitério da Consolação

No túmulo em que Domitila de Castro Canto e Melo, a marquesa de Santos, jaz em companhia da viscondessa de Castro, duas inscrições são controversas. Embora fosse uma das pessoas mais ricas da cidade, a marquesa não possuía terras onde foi construído o cemitério da Consolação, mas custeou a capela original, diferente da que se vê hoje, neoclássica, a poucos metros. Além disso, a lamentável proibição de “acender velas e depositar objetos” inibe a veneração de pessoas comuns, enquanto três luminosos apliques agradecem ao espírito da marquesa graças recebidas. Um anjinho destoa das imagens mais freqüentes, introspectivas, melancólicas ou grandiloqüentes (enquanto no Araçá proliferam fotografias, mais raras na Consolação): olha-nos com um meio sorriso, quase um cupido.

Perfume de princesa

Os odores dos outros